sexta-feira, 31 de maio de 2013

Tonight i got slapped in the face with the reality that i'll never be able to call you mine.

À poucos dias, cerca de dia 28 ou 29 de Maio de 2013 tive mais uma das certezas, para além de todas as outras que tenho assistido. Eu sei que disse que nunca mais iria falar sobre ele, mas não aguento, tenho mesmo que desabafar com alguém.
Então, como estava a dizer, dia 28 ou 29, envia-me a "I" uma mensagem a perguntar se eu tinha luz, e eu fiquei admirada, estava a pensar que ela estava lá com o "B e o "R", mas enganei-me. Respondi-lhe que tinha e de seguida recebo uma mensagem dela a dizer que estava na casa do "R", porque ele tinha emprestado a casa a ela e ao "B" e que o "R" tinha ido dormir a casa da irmã.
Conclusão da história, foi desta. Foi desta que ela conseguiu o que queria. Diria mesmo "prendê-lo". E sim, eles foram fazer o que estão a pensar, afinal tinham a casa por conta deles, toda só para eles, não foi à toa que estavam os dois sozinhos numa casa que nem é deles, certo ?

Hoje, dia 31-05-2013, fui passear o cão ao parque, tal como vou todos os dias. Sentei-me numa mesa que tinha uns desenhos bem giros, estava a vê-los e encontrei mesmo à minha frente, a dizer "Amo-te muito @ "I" és a mulher da minha vida" e a assinatura dele, e ao lado, ela a dizer que o amava, com a data.... 16-03-2013.
Querem que vos seja sincera? Eu acho que ele irá apanhar uma grande desilusão. Ela não é só de se contentar com um. Eu conheço-a muito bem, ao contrário dele, que a conhece à muitíssimo pouco tempo, pelo menos à tempo insuficiente para conhecer o que eu e muitas outras pessoas conhecemos.
Acredito que este Verão ela ainda se aguentará com ele, mas se este Verão ela passar sem o trair, para o próximo isso já não irá acontecer.

Mas sabem uma coisa? Só não percebo certas atitudes dele... O facto de sempre que ele fala para mim, olhar com tanta profundidade... se calhar já estou a ficar paranóica... mas isto deixa-me confusa e acima de tudo triste.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Tiraram-me a felicidade sem permissão.

Embora não pareça, está a ser difícil enfrentar isto; e hoje é um dia para esquecer.
Não sei porquê, não sei se é de mim, mas hoje, eu e a minha mãe temos fartado de discutir. Não era suposto apoiarmos-nos, visto que não temos mais ninguém?
Talvez possa ser apenas eu a mostrar a minha revolta perante esta situação que estamos a passar, já que no momento não a demonstrei.

Eu nem tenho muito para escrever sobre isto, acho que o meu sofrimento não se escreve, sente-se. A minha situação não se escreve, vive-se. É assim o meu dia, lidar com isto. Mentir à maior parte das pessoas e fingir que está tudo bem. Talvez para não ser olhada de lado, ouvir mexericos ou até mesmo só para não passar a figura de coitadinha. Sim, isto tudo porquê? Porque a sociedade de hoje é feita de rótulos. Uma pessoa tem tatuagens, é drogado. Uma pessoa é presa, é um assassino. Uma pessoa trabalha à noite, anda na má vida. É assim. E isto não é mudado por apenas uma pessoa ir contra isto, para isto acabar teriam que ser várias pessoas a ir contra estas ideias. Mas hoje em dia, isso ainda não será possível. As pessoas recusam-se a mudar as ideias, instruir essas ideias aos filhos e os filhos, muito deles, recusam-se a ter um pensamento livre.

Sinto-me fraca. Sinto que me estou a tornar adulta na minha adolescência, sinto que não me estão a deixar vivê-la.
Tenho apenas 16 anos e já tive que encarar coisas na minha vida que nem pessoas de 70 anos já encararam. Difícil de acreditar, mas é verdade, não é exagero.
De qualquer das maneiras, eu sei que isto tudo é que me fez a pessoas que sou, uma pessoa forte, em todos os aspetos uma pessoa guerreira. Mas apenas pedia ter uma adolescência como todos os outros. Como todos os meus outros amigos, afinal eu não merecia isto. Não merecia tudo isto que tenho andado a passar. Eu sei que não. Afinal não fiz mal a ninguém, as pessoas é que me têm feito mal. Têm-me tirado tudo da minha vida.

Eu tento mostrar ser forte. Mas sempre que tenho que enfrentar determinado local, ou ver determinadas pessoas, inclusive olhar da janela do meu quarto, custa tanto. Parece que vivo tudo de novo. E uma coisa que aprendi com isto, é que por mais que nós pensamos que estamos preparados para o que eventualmente poderá acontecer, acredita, nunca estaremos. Ah, outra coisa, vai por mim, quando tu pensas que estás infeliz, acredita, não estás. Provavelmente és a pessoas mais feliz do "mundo" e não sabes, apenas és exigente contigo própria e com os que te rodeiam. Mas não sejas assim, aproveita a tua felicidade, antes que um dia sem esperares, te atirem. Antes que entrem na tua vida sem autorização, e te deixem desamparada, sem saber os que fazeres, antes que te "cortem" as pernas. Porque aí sim, vais saber que sempre foste feliz, mas que apenas não sabias.